Quando caímos em uma rotina de exercícios, nossos movimentos se tornam automáticos e o corpo rapidamente se adapta. Isso é chamado de memória muscular. Embora ensinar ao seu corpo como executar adequadamente agachamentos, flexões ou flexões seja um benefício, confiar demais nesses movimentos para aumentar consistentemente os ganhos não produzirá o tipo de resultado desejado. Isso é porque os músculos funcionam da mesma maneira todas as vezes.

Simplificando, eles não estão sendo “surpreendidos”, então ficam preguiçosos.

Completar sua rotina com o fluxo de yoga é uma maneira de surpreender seus músculos, especialmente se você é novo na prática de yoga e nunca tentou as posturas. É como pegar uma nova estrada para casa quando você dirige, desviando-se da sua rota habitual. A ciência descobriu que, ao fazer isso, você está criando novas neuropatias no cérebro. O mesmo é feito em seus músculos quando você tenta uma nova rotina.

Como isso é feito? Vamos mergulhar direto nisso.

Como o Yoga Fluxo Impulsiona Seus Ganhos em Sua Rotina de Treino

Pense nos seus treinos atuais:

Se você levantar pesos, você confia em ferramentas externas para envolver seus vários grupos musculares. Com o tempo, seus ombros, pernas ou bíceps esperarão as placas ou halteres pesados, nas sequências repetitivas que você lembra.

No fluxo yoga, usamos o corpo como peso. Adicione gravidade e centenas de diferentes posturas e combinações, e você terá um treino que usa os mesmos grupos musculares, mas de muitas maneiras diferentes.

Uma pose como prancha é um treino de corpo inteiro, com todos os músculos envolvidos para manter o corpo em uma linha longa. Embora seja uma pose estacionária, requer controle e ativação muscular, sem espaço para passividade.

Uma sequência de Fluxo, por outro lado, requer que seu músculo mude rapidamente de uma pose para outra, proporcionando a você um uso mais equilibrado e saudável de seus principais grupos musculares.

Essas posturas e rotinas não só reenergizam o corpo de maneira refrescante, mas também permitem que você aprenda algo novo, que é poderoso para a mente.

Linha de fundo? Complementar o seu regime de exercícios com o fluxo de yoga é como acertar o botão de shuffle em seus treinos, usando seus músculos de forma a “surpreendê-los”, o que, por sua vez, aumenta seu crescimento e desempenho.

Fluxo Energizante Yoga com Cardio Adicionado

Fluxo de yoga também é conhecido como “Vinyasa”. Em sânscrito – a linguagem sagrada da prática e suas raízes indianas – Vinyasa é traduzido aproximadamente para “uma respiração, um movimento”.

Esta diretriz, em primeiro lugar, melhora sua respiração e ensina como ir da nossa respiração superficial, apenas no peito, para uma respiração mais profunda no peito que usa todo o sistema pulmonar.

Não só isso é benéfico para uma infinidade de razões de saúde (alergias de combate, eliminar toxinas, reduzir o estresse, aliviar a ansiedade), também afeta muito nossos músculos e, portanto, nosso treino.

Inundar seus músculos com oxigênio rico só vai mantê-los saudáveis, enquanto o benefício cardio vai te aquecer para assumir as posturas mais desafiadoras em uma aula de yoga fluxo. Isso evita ferimentos e cãibras.

O melhor exemplo de cardio energizante no fluxo de yoga é a sequência da Saudação ao Sol. Cada pose é concluída em uma inspiração ou expiração, até que a sequência seja concluída. Uma sequência completa pode ser repetida várias vezes, encorajando-o a respirar mais e mais profundamente. Os ciclos aquecem e soltam o corpo e preparam os músculos para poses estacionárias que são mantidas por mais tempo.

Veja como fazer um fluxo de saudação ao sol:

Devido às Saudações ao Sol, os músculos não são jogados em um exercício desafiador, mas sim preparados e preparados com respiração energizante.

Por que isso é importante, você pergunta? Porque músculos felizes são músculos aquecidos.

A melhor coisa sobre o fluxo de Yoga

A melhor coisa sobre praticar yoga de fluxo? Você está construindo força e flexibilidade.

Força e flexibilidade são como a Meca de uma rotina saudável de exercícios. Antes de entendermos por que isso é importante, vamos dividi-los individualmente para ver como eles se comportam sozinhos:

Conheça Strong Stan

Strong Stan está na academia, fazendo bíceps com halteres enormes. Seus músculos atingiram seu tamanho máximo e ele orgulhosamente os exibe.

Enquanto ele gosta de levantar pesos, Strong Stan frequentemente pula alongamentos ou aquecimentos. Ele simplesmente não vê como isso poderia ajudá-lo a continuar seus ganhos musculares, então ele pula direto para um treino pesado.

Embora não seja evidente para um transeunte, os músculos de Stan estão doendo. Sem flexibilidade suficiente ou alongamento deliberado, os músculos de Stan estão se encurtando e ficando mais apertados. Isso eventualmente leva a lesões nas articulações, porque os músculos não esticados têm amplitude de movimento limitada.

Os grandes músculos são um indicador seguro de força, mas aqui está o kicker – escolher não priorizar a flexibilidade irá mantê-los inerentemente em risco.

Conheça a Fiona Flexível

Fiona flexível está em uma aula de ioga de fluxo, facilitando-se em um backbend. Ela entra na pose sem esforço e “fica pendurada” por algumas respirações enquanto a professora fala sobre a aula.

Mesmo que o professor instrua os alunos a engajarem seus glúteos e estarem conscientes de que esta é uma pose ativa, a Flexivel Fiona opta pelo contrário, e relaxa na postura sacrificando a força que ela deveria estar construindo.

Para muitos da turma, a execução do backbend por Fiona seria um sucesso – talvez até algo para invejar. No entanto, o que Fiona não percebe é que sua flexibilidade excessiva é, na verdade, um prejuízo para suas articulações.

Flexibilidade foi definida como a “amplitude absoluta de movimento” por Tony Gummerson, instrutor de artes marciais. Para pessoas que são naturalmente flexíveis, essa linha de alcance absoluto é muitas vezes embaçada e, na prática, negligenciada.

É muito fácil para Fiona ir além de sua amplitude de movimento, já que seus parâmetros de flexibilidade são muito mais amplos do que os que Strong Strong pode experimentar em uma pose semelhante.

Porque ela não sentir o alongamento no mesmo grau de movimento que os outros alunos da turma, Fiona tem que empurrar o envelope de sua flexibilidade. Isso coloca muita pressão sobre as articulações que já estão sobrecarregadas, e sobrecarrega os músculos que estão agora propensos a rasgar.

Seu objetivo é criar equilíbrio e integridade muscular e articular.

O que Strong Stan e Flexible Fiona têm em comum é que ambos estão perdendo peças vitais de consciência muscular.

No caso de Stan, músculos pesados ​​e tensos almejar flexibilidade. Sem isso, Stan não só alcançaria um patamar em seus ganhos por causa de um ferimento certeiro, como também perderia os músculos magros e tonificados que todos nós queremos ter.

No caso de Fiona, seus músculos sobrecarregados não estão nem um pouco treinando. Em vez disso, sua flexibilidade excessiva repousa sobre as articulações, o que leva a lesões definitivas.

Então o que você pode fazer? É bem simples.

Você tem que dar a seus músculos o oposto do que eles estão acostumados.

Se você é um Stan e odeia alongamentos, é essencial se concentrar na flexibilidade. Você alongará seus músculos tensos e criará nova memória muscular praticando rotinas que são novas para você e seus grupos musculares.

Se você é uma Fiona e odeia o fortalecimento, concentrar-se nessa prioridade é vital. Seus músculos estão acostumados a serem passivos enquanto você se alonga, então sacudir o normal e colocá-los para trabalhar não apenas manterá você livre de lesões, mas também mais perto dos ganhos musculares que você está procurando.

Felizmente, fluxo de yoga é todo o pacotee pode ser o one-stop-shop para Stan e Fiona.

Pensamentos finais

Se você é sério sobre o uso do fluxo de yoga para complementar sua rotina de exercícios para aumentar os ganhos, inscreva-se em uma aula em sua academia ou estúdio de ioga. Há vários estilos de ioga para tentar, mas, como discutimos neste artigo, o estilo Vinyasa é a sua melhor aposta para complementar um regime moderado de exercícios.

Muitos estúdios oferecem aulas de Vinyasa no estilo iniciante, onde o instrutor irá explicar o básico, e dividir as seqüências em um ritmo adequado para os alunos iniciantes. A partir daqui, o aluno pode desenvolver sua prática e optar por aulas mais desafiadoras e em ritmo acelerado, como o Power Flow ou o Ashtanga.

Trabalhar fora é uma lição para ensinar seus músculos. Os ganhos que crescemos são o resultado dessa experiência, e tudo se resume a condicionar nosso corpo de maneira saudável, eficiente e equilibrada.

Com uma prática como a ioga do fluxo, podemos oferecer treinamento suplementar ao nosso regime atual que trabalhará nossos músculos de maneiras novas, refrescantes e “surpreendentes”. Esse método manterá nossos músculos tonificados e magros, desde que priorizemos equilíbrio entre força e flexibilidade para garantir que estamos atendendo a essas duas necessidades. Nossos ganhos musculares e saúde corporal dependem disso.

Mais recursos sobre Yoga e Fitness

Crédito da foto em destaque: Editar Sztazics via unsplash.com

Categorias: Life Hack

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *